Reciclagem na Baixada Santista

No dia 2 de julho de 2019, a Lei Recicla Santos completou dois anos desde que entrou em vigor. Contabilizando todo o período em que esteve ativa, a Lei Complementar 952 disciplinou o gerenciamento do lixo em Santos, aumentando em até 300% a coleta na cidade.

No ano de 2018, mais de 12 mil toneladas de lixo foram recolhidas pela Prefeitura, apresentando um aumento de 265% em comparação com o ano de 2017. Aumentando a coleta, houve também um crescimento no índice de recicláveis, que bateu 18% (uma das maiores taxas do país).

De acordo com Marcos Liborio, o então secretário do Meio Ambiente em Santos, o crescimento acentuado, apesar de animador, sinaliza a necessidade de um maior cuidado com o lixo. O índice de reciclagem é uma vitória, porém deve-se redobrar a atenção às ações de educação ambiental e melhor descarte, afim de diminuir os rejeitos.

Leia Mais: Indício de rejeitos em cooperativa de recicláveis de Santos aumenta

“É uma grande vitória, em uma luta que se trava diariamente. Por isso, nos próximos meses, vamos intensificar as ações de sensibilização ambiental em condomínios, por exemplo, além de reforçar as ações de educação ambiental nos parques Aquário, Orquidário e Jardim Botânico. Temos também workshops sobre resíduos sólidos no segundo semestre, além de palestras e distribuição de cartilhas”, revelou Marcos Libório.

Foto: Rodrigo Montaldi/Arquivo Diário do Litoral

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] lei, que obriga o descarte de recicláveis na cidade aumentou em 300% a quantidade de lixo descartável coletado, alcançando um índice de […]

Os comentários estão fechados.